Primeiros passos para otimizar a gestão tributária

Os profissionais precisam estar atentos à gestão tributária, pois, quando feita do jeito correto, ela é capaz de gerar impactos positivos e significativos para a empresa. Isso quer dizer que, além de preparar o negócio para as constantes alterações legislativas, uma gestão tributária eficaz permite que a empresa tenha mais economia e agilidade para executar as tarefas diárias.

Por exemplo, uma das vantagens de se manter a gestão tributária em ordem é a redução do risco de autuação pela Receita Federal. Como a gestão tributária acompanhará todos os  dados gerados pela empresa, as inconsistências serão eliminadas e, assim, também será reduzido o ônus tributário.

Quer saber mais sobre o assunto? Conheça, a seguir, sete práticas que vão facilitar a gestão tributária da sua empresa, e também os benefícios dessa gestão para o futuro do negócio.

Trabalhe com um Contador

Ter ao seu lado um bom profissional de Contabilidade, que seja capaz de conhecer os pormenores da legislação e atuar sempre que preciso, é essencial para uma gestão tributária bem-sucedida.

Esse profissional será responsável pela Contabilidade da sua empresa e poderá dar suporte ao setor financeiro, exercendo funções relativas às movimentações, por exemplo. Além disso, o Contador também pode realizar uma preciosa consultoria, com relação aos eventuais investimentos que você tenha interesse em realizar.

Contar com a ajuda de um profissional da área contábil é muito importante para aperfeiçoar a gestão tributária da empresa, de modo a transformá-la em um processo mais ágil e eficiente no futuro.

Organize sua gestão

Em empresas menores, é perfeitamente possível gerenciar as atividades diárias do negócio por meio de planilhas de Excel. Contudo, ainda assim é indispensável que as pequenas e médias empresas organizem-se para aperfeiçoar esses controles e torná-los mais eficientes e rápidos.

Sendo assim, a dica aqui fica por conta da automatização dos serviços. Com recursos como Enterprise Resource Planning (Planejamento dos Recursos da Empresa, ou ERP), empresas de pequeno, médio e grande porte podem executar seu controle administrativo de maneira eficiente e automatizada, o que traz inúmeros benefícios, entre eles, uma maior economia de tempo.

Faça auditorias

Fazer uma auditoria é o melhor caminho para identificar eventuais erros cometidos em gestões anteriores – e, por que não, também na atual. Em outras palavras, as auditorias são importantes para evitar que o negócio cometa erros sistemáticos, podendo, com isso, cair na inadimplência, por exemplo.

As auditorias têm por objetivo verificar se o sistema de gestão da empresa está em conformidade com aquilo que está sendo implementado no dia a dia. Existem vários tipos de auditorias, sendo a contábil uma das mais importantes para a saúde financeira do negócio.

Mas, quem está habilitado a realizar uma auditoria na sua empresa? É aqui que entram os auditores, profissionais plenamente capacitados em sua área de atuação, que vão acompanhar os processos, por um determinado período de tempo, e fazer algumas análises.

Na área contábil, os auditores verificam a conformidade dos registros da empresa, sejam eles relativos à área fiscal, patrimonial, administrativa ou financeira, por exemplo. Dessa maneira, a visão dos especialistas pode ajudar sua empresa, em seus diferentes setores, a organizar os processos e, assim, obter resultados melhores no futuro.

Escolha o regime tributário mais adequado

A forma como você paga os impostos deve ser, sempre, a mais vantajosa possível para o modelo de negócios da sua empresa. Assim, dentre as três modalidades disponíveis – Lucro Real, Lucro Presumido e Simples Nacional, é preciso enquadrar seu negócio na melhor categoria, considerando os seguintes aspectos:

  • a área de atuação da empresa;
  • o cálculo do lucro;
  • as simulações para analisar e evitar o pagamento de tributos desnecessários.

Feita essa análise inicial, vamos verificar quais são as características de cada modalidade de tributação e quais delas são indicadas em cada caso.

Lucro Real

De maneira geral, é importante ressaltar que o Lucro Real é ótimo para empresas que possuem uma margem de lucro pequena, pois esse é um modelo econômico. A modalidade de Lucro Real é indicada para empresas que tenham faturamento anual acima de R$78 milhões.

Lucro Presumido

Já no caso do Lucro Presumido, o ideal é que essa modalidade seja adotada por empresas que possuam uma margem de lucro maior. Em geral, o Lucro Presumido é indicado para negócios que faturam até R$78 milhões anualmente.

Simples Nacional

O Simples Nacional é a modalidade mais recomendada para pequenas empresas, visto que, quanto mais um negócio lucra, maiores são os impostos cobrados pela legislação brasileira. Assim, caso a sua empresa não ultrapasse R$3,6 milhões anuais de faturamento, o Simples Nacional é a melhor alternativa.

É importante lembrar que nem tudo que é adequado para uma empresa será necessariamente útil para outra. Por isso, é essencial analisar cuidadosamente o seu negócio e também as modalidades de regime tributário disponíveis, para que sua empresa tome a melhor decisão sobre isso.

Não abra mão da tecnologia

É sempre importante encontrar maneiras de facilitar o seu trabalho dentro da empresa. No caso da gestão tributária, isso é ainda mais relevante, pois, diante da tecnologia existente hoje, boa parte das complicações do Sistema Tributário Nacional já podem ser evitadas com o uso de sistemas de gestão financeira adequados.

Os softwares de alto desempenho, como é o caso dos de gerenciamento financeiro, por exemplo, são capazes de trazer inúmeros benefícios para o seu negócio. Entre eles, manter as obrigações tributárias em dia, calcular diferenças entre alíquotas, acompanhar pagamentos de clientes e prestadores de serviços, entre outras vantagens.

Esteja em dia com a documentação da empresa

Como você já deve saber, não são poucos os documentos importantes para a gestão fiscal e tributária de uma empresa, seja ela de telecom, ou de outra área. Além dos documentos físicos, que eram muito comuns há bem pouco tempo, hoje em dia, as empresas precisam gerir também os documentos digitais.

Aqui, a regra de ouro é: armazene tudo! Mesmo com todo o volume de dados virtuais que você precisa guardar, cada nota fiscal é importante. De preferência, salve tudo em uma mesma pasta e guarde as cópias em outros locais, como HDs ou servidores na nuvem, por exemplo. Assim, você estará seguro diante de qualquer eventualidade. Ter esses documentos à mão, sempre que preciso, é importante não apenas para questões que envolvem fiscalização, mas também para o planejamento empresarial como um todo.

Fique de olho na legislação

Para os empreendedores e gestores, a carga tributária que recai sobre as empresas parece maior a cada ano, fato que tem tirado o sono de muitos deles. Dessa maneira, é preciso que as empresas acompanhem de perto as alterações na legislação brasileira, para se adaptarem rapidamente às mudanças.

Isso significa, além de atender às exigências do governo, acompanhar a política nacional e compreender os cenários político e econômico do país. É fundamental que o empresário conheça as propostas que, de alguma maneira, podem impactar o seu negócio. Antecipar-se às decisões do governo pode ser um grande diferencial na tomada de decisões e, assim, uma importante vantagem competitiva no mercado.

Aperfeiçoe sua gestão tributária

Para lidar adequadamente com as exigências fiscais, que a sua empresa de telecomunicação deve atender, é preciso haver organização financeira. Assim, um bom caminho para conquistar a boa gestão tributária é evitar atrasos e a inadimplência, visto que, ao liquidar suas obrigações em dia, você evita o pagamento de multas e outros encargos. Consequentemente, os benefícios aparecerão e tornarão a sua atividade ainda mais eficiente.

Você tem outras dúvidas sobre como otimizar a gestão tributária da sua empresa ? Deixe seu comentário abaixo.

 

Ebook Previsa - Guia: Como parar de Perder Dinheiro na Sua EmpresaFale com a Previsa