Coaching e Inteligência Positiva: como eles podem mudar seu futuro?

Muito popular nos dias de hoje, o coaching vem ganhando cada vez mais adeptos, que vão desde os grandes empresários, aos microempreendedores e as pessoas comuns. O que muitos ainda desconhecem é o quanto o processo de coaching pode ser impulsionado pela inteligência positiva, termo que ainda não é muito falado pelo público em geral.

Como o próprio nome diz, o objetivo da metodologia de coaching é conduzir os indivíduos, fazendo com que eles avancem em direção aos seus sonhos, conquistas e realizações, sejam elas no âmbito pessoal ou profissional. O coaching também pode ser usado como ferramenta estratégica, na condução de equipes em uma empresa.

Já a inteligência positiva consiste na forma como esse caminho é percorrido. Ou seja, é a inteligência positiva que dará suporte ao indivíduo, para que ele seja capaz de eliminar as suas crenças limitantes, que o impedem de crescer.

Ao mesmo tempo, a inteligência positiva também busca fortalecer os verdadeiros potenciais dessa pessoa, fazendo com que ela se sinta mais capaz para sair em busca das suas realizações.

Mas, qual é o real poder do coaching na vida das pessoas? Será que ele, ao lado da inteligência positiva, pode mesmo mudar o futuro pessoal e profissional de alguém?

Afinal, por que as pessoas procuram o coaching?

De forma geral, as pessoas descobrem a metodologia de coaching quando reconhecem que estão enfrentando dificuldades para prosperarem sozinhas e que precisam de ajuda. Segundo a coordenadora de Recursos Humanos da Previsa Contabilidade, Carolina Salvo, o principal “sintoma” do qual esses indivíduos se queixam é que estão infelizes com o trabalho que realizam no dia a dia.

“Quando procuram pelo coach, a insatisfação inicial é com o trabalho. Mas, depois que iniciamos o processo de coaching, a pessoa compreende que, na verdade, ela não está insatisfeita só no trabalho, mas na vida pessoal como um todo”, afirmou.

Dessa forma, é muito comum que esses indivíduos estejam decepcionados com relação a outros aspectos da vida pessoal e profissional. Salvo explica que isso acontece porque, na maior parte dos casos, as pessoas não conhecem bem a si mesmas e, assim, acabam vivendo em função de objetivos vazios e sem significado.

Como reflexo desse desconhecimento pessoal, os indivíduos não sabem ao certo quais são as suas aptidões, o que gostam e o que não gostam de fazer e o que os fazem felizes de verdade. Consequentemente, fica mais difícil criar objetivos e metas que sejam realmente motivadores e, por isso, eles têm mais dificuldade para chegar a algum lugar.

Coaching em andamento: o começo da virada

Sim, o coaching tem poder de mudar a vida das pessoas. Mas não pense que isso acontece da noite para o dia. Segundo Carolina Salvo, o princípio do coaching é trabalhar o autoconhecimento individual e, assim, identificar as potencialidades e também as fragilidades que a pessoa precisa desenvolver, mesmo que isso demore algum tempo.

“Para conhecer a fundo as características das pessoas, o coach utiliza os assessments, ou ferramentas, que variam de acordo com cada caso. O coaching voltado para executivos, por exemplo, envolve questões mais complexas e, por isso, possui ferramentas específicas. Já o coaching para pessoas que ocupam cargos menos estratégicos é realizado com outros tipos de assessments, que são menos abrangentes”, disse.

Na medida em que as etapas são realizadas, como as entrevistas e os testes de personalidade, o indivíduo vai observando progressos com relação à sua visão crítica sobre as suas próprias habilidades, gostos e aptidões. “O processo de coaching pode levar a pessoa a entender, inclusive, que ela está mesmo na profissão errada, ou anda fazendo várias coisas desalinhadas com sua missão de vida”, afirmou Salvo.

Após conhecer os desafios que precisa superar, é esperado que o coachee (pessoa que passa pelo processo de coaching) tome atitudes que irão mudar esse cenário observado. Entretanto, essa é uma outra fase, que requer ainda mais maturidade da pessoa. E é aqui que a inteligência positiva assume um papel importante no processo de coaching.

Como usar a inteligência positiva para ser bem-sucedido?

É por meio da inteligência positiva que o indivíduo compreende quais são os seus sabotadores, ou crenças limitantes, e quais são os seus verdadeiros potenciais, ou crenças fortalecedoras.

O objetivo da inteligência positiva no processo de coaching é fomentar as crenças fortalecedoras, que são essenciais para o progresso de uma pessoa, ao mesmo tempo em que se procura extinguir as crenças limitantes, já que elas inibem e desmotivam o indivíduo.

Segundo Carolina Salvo, um ótimo exemplo de superação, por meio da inteligência positiva, é o caso do australiano, Nick Vujicic. “Mesmo que tenha nascido sem nenhum dos membros, ele não se abateu. O Nick venceu as crenças limitantes que tinha, pois, as suas limitações eram físicas, e não mentais. E isso não impediu que ele fizesse, ao longo da sua vida, tudo que uma pessoa normal pode fazer”, afirmou.

Muitas vezes, as crenças limitadoras são adquiridas pela influência de terceiros, que dizem que a pessoa não é capaz de fazer tal coisa, ou de executar um projeto. Assim como o estímulo é capaz de impulsionar alguém, o desestímulo também pode paralisar uma pessoa, fazendo com que ela não avance por acreditar que não tem condições para isso.

A associação entre o coaching e a inteligência positiva busca, justamente, vencer essas barreiras psicológicas e inaugurar novos modelos mentais, que ajudem as pessoas a serem bem-sucedidas em suas iniciativas. Trata-se de um processo de empoderamento do indivíduo, cujo objetivo é construir uma personalidade mais forte e determinada ao final de todas as etapas.

Assim como a inteligência positiva, o processo de coaching também envolve conhecimentos da Programação Neurolinguística, ou PNL. A PNL busca desenvolver habilidades ligadas à comunicação, que vão ajudar o indivíduo a relacionar-se melhor com as pessoas com as quais ele convive no dia a dia.

“Muita gente tem se beneficiado com a PNL, porque, além de melhorar a comunicação, esse método ajuda a pessoa a compreender qual é seu modelo mental, e o que ela precisa mudar para conquistar seus sonhos e objetivos de vida”, disse Carolina.

Vale a pena investir em coaching e inteligência positiva?

Como você viu, não é por acaso que as pessoas falam tanto em coaching atualmente. Essa metodologia, se aplicada por profissionais competentes, pode mudar a vida das pessoas para melhor.

Ao lado do coaching, a inteligência positiva e a PNL são poderosas ferramentas que, se utilizadas em conjunto, podem proporcionar importantes ganhos para a autoestima e o empoderamento do indivíduo. Um processo de coaching bem feito, com seriedade e comprometimento, tende a ser cem por cento eficaz.

Você gostou deste artigo? Então compartilhe-o com seus amigos nas redes sociais.

Vídeo: 3 pontos importantes para ser um bom líder

Ebook Previsa - Guia: Como parar de Perder Dinheiro na Sua EmpresaFale com a Previsa